Nota: Funai lamenta morte de indígenas com coronavírus em Manaus (AM)

Defensora dos direitos dos indígenas, é com imenso pesar que a Funai lamenta informar a morte de um indígena da etnia Tikuna, de 78 anos, e da indígena Kokama, de 44 anos, os dois óbitos ocorridos hoje, 11 de abril, na cidade de Manaus (AM).

A confirmação se deu pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena e do Distrito Sanitário Especial Indígena Alto Rio Solimões.

O indígena Tikuna foi removido do Hospital de Tabatinga-AM, em UTI Aérea do Estado, para tratar de problemas cardíacos e estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Delphina Aziz (Manaus). Em 25 de março, havia sido transferido para o Hospital Adriano Jorge e, em 31 de março, para o Hospital Francisca Mendes, referência em Cardiologia. Durante o período de tratamento hospitalar, o teste para COVID-19 acusou positivo, o que agravou ainda mais seu quadro.

A indígena Kokama estava internada, desde 28 de fevereiro, na cidade de Manaus, para tratamento de anemia hemolítica autoimune. O quadro da paciente agravou-se após contrair a COVID-19, quando passou a respirar por aparelhos, vindo a falecer em dia 9 de abril. De acordo com o atestado de óbito, a indígena faleceu em decorrência de insuficiência respiratória aguda por COVID-19; anemia hemolítica auto imune; e lúpus eritematoso sistêmico.

Em nome de seu presidente, Marcelo Xavier, a Funai reitera a tristeza de ter que noticiar o ocorrido e reforça a necessidade de que sejam cumpridos os protocolos de contingenciamento junto à Secretaria Especial de Saúde Indígena e aos Distritos Sanitários Especiais Indígenas.

Assessoria de Comunicação / Funai – Publicado em 11 Abril 2020 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.