Com a chegada das chuvas em Rondônia, cresce o alerta para casos de leptospirose

Além do esforço para o conter a pandemia do coronavírus, a Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia desenvolve ações para evitar o descontrole de outras doenças, como a leptospirose, causada por uma bactéria presente na urina dos ratos.

O risco de contaminação pela leptospirose aumenta bastante no período de chuvas com as enxurradas e a lama que se formam nos limites das casas pelo esgoto a céu aberto.

Em 2019,  foram registrados 25 casos em todo estado de Rondônia. Desses, sete em Porto Velho. Nos três primeiros meses do ano, a Capital já registrou três do total de casos da doença no estado.

A Agevisa montou um manual para orientar as comunidades.

Entre as recomendações está a de manter os alimentos armazenados em vasilhames tampados; acondicionar o lixo em sacos plásticos em locais elevados do solo; manter limpos e desmatados os terrenos baldios para evitar que sirvam de abrigo para os ratos; e manter as caixas d’água, ralos e vasos sanitários fechados com tampas pesadas.

A agência orienta ainda que, no ambiente rural, além dos cuidados mencionados, é necessário o correto armazenamento de grãos; as colheitas no paiol; e os alimentos e rações para os animais que são altamente atrativos para roedores.

A leptospirose é uma doença infecciosa e seu contágio ocorre, por exemplo, por meio da pele com lesões e o contato em água contaminada.

 

Por: Sâmia Mendes  – FONTE: Radioagência Nacional/EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.