Presidente da Funai defende etnodesenvolvimento

Marcelo Xavier diz que modalidade garante renda e dignidade aos índios.

Presidente da Funai defende diálogo "sem intermediários" com índios
Presidente da Funai defende diálogo “sem intermediários” com índios – Reprodução/Brasil em Pauta

Eles foram os primeiros habitantes do Brasil, há mais de 500 anos. Hoje os cerca de 1 milhão de índios brasileiros ocupam 14% do território nacional.

A população indígena, na maioria, vem passando por uma acelerada transformação social e conta com a Fundação Nacional do Índio (Funai), vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, para executar a política indigenista do Governo Federal.

Para falar sobre esse trabalho, o Brasil em Pauta recebe o presidente da Funai, o delegado da Polícia Federal Marcelo Xavier.

Na entrevista ao jornalista Paulo La Salvia, o presidente da fundação defende o etnodesenvolvimento, “dando ocupação para [os índios] permancerem nas aldeias, apoiados em uma atividade sustentável”.

Xavier deu como exemplo os índios da etnia Paresi, no Mato Grosso, que plantam 18 mil hectares de grãos. “Isso traz R$ 20 milhões ao ano, beneficia diretamente 2 mil famílias e representa, do territorio deles, 1,5%. Foi desempenhado em áreas degradadas, é absolutamente sustentável. Agora, com o território preservado, ele querem introduzir o turismo”, informou.

A mineração em terra indígena também foi assunto da conversa. O presidente da Funai esclareceu que essa atividade já existe nas aldeias e a regularização é “um anseio” dos índios. “O garimpo ilegal existe nas aldeias, nós precisamos regulamentar isso. Precisamos de uma legislação que ampare o indígena que deseje desenvolver lá esse tipo de atividade. Que mal há nisso?”, declarou.

O projeto de lei que libera a mineração em terras indígenas também prevê a exploração de energia e de hidrocarbonetos (petróleo) nas TI. A Funai, informou Xavier, faz uma interlocução em favor da medida no Congresso Nacional. “O projeto traz um benefício ao Brasil. Não tem nada de irregular, pelo contrário, traz mais transparência ao que se passa nas áreas indígenas”, disse.

Segundo a Constituição, o Estado brasileiro deve garantir a sobrevivência física e cultural dos povos indígenas.

"É fundamental deixar os índios serem protagonistas", afirma Xavier
“É fundamental deixar os índios serem protagonistas”, afirma Xavier – reprodução/ TV Brasil

FONTE: EBC – Brasil em Pauta   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.