Comunicação via satélite fortalece monitoramento de terras indígenas

Em parceria com a Funai, o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) realizou a instalação de 25 antenas de comunicação via satélite (VSATs) na região da Amazônia Legal nos estados do Mato Grosso, Pará, Amazonas, Rondônia e Acre.

Antena1

A ação tem como objetivo o fortalecimento das atividades de monitoramento das terras indígenas, além de promover a melhoria no sistema de comunicação nas unidades descentralizadas da Funai e em aldeias localizadas em áreas remotas da Amazônia Legal.

A instalação se deu em locais que já possuíam a antena, em substituição ao modelo antigo de VSAT, e também em novas localidades. O antigo sistema tinha velocidade média de 560 Kbps, já o novo chega a 10 Mbps e apresenta menor peso e tamanho.

Em muitas regiões, as antenas são o único meio de comunicação das comunidades e das equipes de servidores da Funai. Além dos pontos de internet de uso geral, o sistema fornece informações meteorológicas para previsão do tempo e auxiliam a segurança do tráfego aéreo na região.

A iniciativa ocorre mediante o programa Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac).

A parceria com o Censipam é realizada por intermédio da Coordenação de Informação Territorial (COIT) e da Coordenação-Geral de Monitoramento Territorial (CGMT), vinculadas à Diretoria de Proteção Territorial (DPT) da Funai.

Segundo o coordenador de Informação Territorial, Greison Moreira, a previsão é instalar cerca de 140 novas antenas no total. “Realizamos diversas reuniões técnicas com o Censipam para colocar em prática o projeto, que beneficia não só aldeias indígenas, mas também o trabalho da Funai que acontece nas pontas via Coordenações Regionais, Coordenações Técnicas Locais e Bases de Proteção Etnoambiental”, completa.

 

Antena3

Fotos: Censipam/Ministério da Defesa

Assessoria de Comunicação / Funai

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.