Mulheres indígenas recebem premiação da ONU

O Movimento Indígena das Mulheres do Alto São Marcos – MIMAS, do Estado de Roraima, foi premiado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO/ONU, como vencedor do concurso “Inovar para Mudar”.

Representantes do MIMAS, projeto vencedor do concurso. Foto: Acervo Pessoal

Vitória para a Fazenda Kanon, conhecida na região como “Fazenda das Mulheres”, um dos 271 diferentes projetos inscritos em todo o país.

O prêmio conquistado é uma cesta de produtos e serviços para aperfeiçoamento das atividades no valor de 20 mil reais.

Além da categoria principal, o concurso fez menção honrosa para o Cultivo tradicional Mbia Guarani do milho tradicional Avaxi Ete, no Estado do Paraná.

O Movimento Indígena das Mulheres do Alto São Marcos – MIMAS, do Estado de Roraima, foi premiado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO/ONU, como vencedor do concurso “Inovar para Mudar”. Vitória para a Fazenda Kanon, conhecida na região como “Fazenda das Mulheres”, um dos 271 diferentes projetos inscritos em todo o país. O prêmio conquistado é uma cesta de produtos e serviços para aperfeiçoamento das atividades no valor de 20 mil reais. Além da categoria principal, o concurso fez menção honrosa para o Cultivo tradicional Mbia Guarani do milho tradicional Avaxi Ete, no Estado do Paraná.

A iniciativa das mulheres indígenas Wapixana, Makuxí e Taurepang ocorre na Terra Indígena São Marcos, em RR. A Fazenda Canon é um dos principais projetos do MIMAS. Na propriedade são desenvolvidas atividades intimamente ligadas à promoção da segurança alimentar, à preservação da cultura e do patrimônio genético, com destaque para a criação do gado Miura, espécie sob risco de extinção; o plantio do milho crioulo de Roraima, ao qual se atribui origem Inca e Maia; além de cultivo de variadas pimentas, mandiocas, entre outras espécies. Os produtos comercializados pelo MIMAS proporcionam renda às mulheres e às suas comunidades, favorecendo a sua autonomia econômica e a redução da pobreza.

O Concurso “Inovar para mudar: a autonomia das #MulheresRurais e sua contribuição para reduzir a pobreza e a insegurança alimentar” faz parte da Campanha Regional #MulheresRurais, Mulheres com Direitos. Lançada em março de 2019 como lema “Pensar em igualdade, construir com inteligência e inovar para mudar”, a iniciativa se propõe a auxiliar na divulgação das ações das mulheres rurais, indígenas e afrodescedentes em prol de sua autonomia. No Brasil, a Campanha #Mulheres Rurais é coordenada pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do MAPA, em colaboração com a FAO, a ONU Mulheres, a Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul (REAF) e Direção-Geral do Desenvolvimento Rural do Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai.

Mulheresrurais1
Representante Mbia Guarani, PR, vencedora da menção honrosa na categoria indígena. Foto: Acervo Pessoal.

A Funai é parceira da iniciativa e atua ativamente para dar visibilidade ao protagonismo das mulheres indígenas no fortalecimento da segurança alimentar e nutricional. Confira as outras matérias publicadas em nossa página sobre a campanha aqui e aqui.

Assessoria de Comunicação – Funai

com informações da Coordenação de Gênero, Assuntos Geracionais e Participação Social – COGEN e Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – FAO.

FONTE: http://www.funai.gov.br/index.php/comunicacao/noticias/5964-mulheres-indigenas-recebem-premiacao-da-onu    

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.