Ibama, ICMBio e Exército devolvem peixe-boi à natureza no Amapá

O Ibama e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com apoio do Exército, devolveram à natureza um peixe-boi resgatado em 2013 no Amapá.

Foto: Vinícius Mendonça/Ibama

O animal, apelidado de Victor Maracá, foi transportado entre os dias 29 e 30 de outubro por 580 quilômetros entre Macapá/AP e Oiapoque/AP. O peixe-boi foi colocado em um recinto especial para adaptação no Rio Curipi, na Terra Indígena (TI) Uaçá.

 

O animal foi encontrado ainda filhote encalhado em rampa de embarcações na área urbana do município de Amapá/AP.

Após tentativa sem sucesso de soltura imediata para que o filhote reencontrasse a mãe, técnicos do ICMBio resgataram e levaram o peixe-boi para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama em Macapá/AP, onde recebeu os primeiros cuidados com apoio do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (IDSM).

Depois da reabilitação do animal foi verificada a viabilidade de soltura próximo ao local de resgate. No entanto, foi constatado não ser possível a construção de recinto para adaptação e monitoramento inicial no município de Amapá/AP devido ao fenômeno da pororoca atingir aquela localidade.

Técnicos do Ibama e do ICMBio iniciaram buscas por um local adequado para a soltura e decidiram pela Aldeia do Manga, na TI Uaçá, município de Oiapoque/AP. Em reunião com caciques da região, com apoio da Funai, foi autorizada a construção do recinto e a comunidade indígena se dispôs a auxiliar nos cuidados com a área.

O peixe-boi deve permanecer alguns meses no recinto de ambientação sendo monitorado até ser considerado apto para a soltura definitiva.

Assessoria de Comunicação do Ibama
imprensa@ibama.gov.br
061 3316 1015   

VER MAIS EM: https://www.ibama.gov.br/noticias/730-2019/2074-ibama-icmbio-e-exercito-devolvem-peixe-boi-a-natureza-no-amapa 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.