A day to celebrate indigenous languages of the world

“The health of our languages is connected to the health of the earth […] We lose our connection and our ancient ways of knowing of the earth when our languages fall silent. […] for the sake of future generations, we must ensure they too can speak the language of our ancestors.”

On 1 February 2019, when the International Year of Indigenous Languages officially launched at the UN Headquarters in New York, Kanen’tó:kon Hemlock, Bear Clan Chief of the Mohawk Nation, in a moving speech, explained why indigenous languages matter. On 9 August, indigenous languages will once again hit the spotlight as the main theme of the International Day of the World’s Indigenous Peoples.

Of the approximately 7,000 languages spoken worldwide, 5,000 are estimated to be indigenous languages. With fewer and fewer speakers actively using them, around half of these languages are in danger of falling silent forever.

Indigenous languages are extensive and complex systems of knowledge, including knowledge of our environment. Protecting languages means protecting biodiversity, cultures and livelihoods. But despite their immeasurable value, many languages are disappearing at alarming rates due to forced relocation of indigenous communities, disadvantages in education, illiteracy, and poverty affecting indigenous peoples.

This year’s International Day of the World’s Indigenous Peoples will showcase not only challenges, but also opportunities and innovative solutions for preserving and developing these unique tongues. It will highlight the fundamental importance of implementing the UN Declaration on the Rights of Indigenous Peoples to save and strengthen indigenous languages, traditions, cultures and communities.

The main celebrations of the International Day will take place on Friday, 9 August from 10.00 am to 5.00 pm in the ECOSOC Chamber at United Nations Headquarters in New York. Indigenous experts and guest speakers will discuss the role of indigenous language and present creative initiatives for their promotion, preservation, and revitalization. The event will be broadcast live on UN Web TV.

Meanwhile, at the main lobby of the UN Headquarters, an innovation hub will open its doors to showcase some of the most innovative approaches that promote the knowledge and use of indigenous languages. The interactive exhibit will feature games, apps, interactive maps, videos and more 21st century tools for preserving centuries-old languages.

FONTE: UN DESA – https://www.un.org/development/desa/undesavoice/highlights/2019/08#46074

TRADUÇÃO LIVRE

Um dia para celebrar as línguas indígenas do mundo

“A saúde de nossas línguas está ligada à saúde da terra […] Perdemos nossa conexão e nossos antigos modos de conhecer a terra quando nossas línguas se calam. […] Para o bem das gerações futuras, devemos garantir que eles também possam falar a língua de nossos ancestrais. ”

Em 1º de fevereiro de 2019, quando o Ano Internacional das Línguas Indígenas foi oficialmente lançado na sede da ONU em Nova York, Kanônó: kon Hemlock, chefe do Clã Urso da Nação dos Mohawk, explicou que as línguas indígenas são importantes. No dia 9 de agosto, as línguas indígenas voltarão a ser destaque como o principal tema do Dia Internacional dos Povos Indígenas do Mundo .

Das cerca de 7.000 línguas faladas em todo o mundo, 5.000 são consideradas línguas indígenas. Com menos e menos falantes usando-os ativamente, cerca de metade desses idiomas correm o risco de ficar em silêncio para sempre.

As línguas indígenas são sistemas extensos e complexos de conhecimento, incluindo o conhecimento do nosso meio ambiente. Proteger idiomas significa proteger a biodiversidade, culturas e meios de subsistência. Mas, apesar de seu valor imensurável, muitas línguas estão desaparecendo em proporções alarmantes devido à realocação forçada de comunidades indígenas, desvantagens na educação, analfabetismo e pobreza que afetam os povos indígenas.

O Dia Internacional dos Povos Indígenas deste ano apresentará não apenas desafios, mas também oportunidades e soluções inovadoras para preservar e desenvolver essas línguas únicas. Destacará a importância fundamental da implementação da Declaração da ONU sobre os Direitos dos Povos Indígenas para salvar e fortalecer as línguas, tradições, culturas e comunidades indígenas.

As principais celebrações do Dia Internacional acontecerão na sexta-feira, 9 de agosto, das 10h às 17h, na Câmara do ECOSOC, na sede das Nações Unidas, em Nova York. Especialistas indígenas e palestrantes convidados discutirão o papel da língua indígena e apresentarão iniciativas criativas para sua promoção, preservação e revitalização. O evento será transmitido ao vivo pela Web TV da ONU .

Enquanto isso, no principal lobby da sede da ONU, um centro de inovação abrirá suas portas para mostrar algumas das abordagens mais inovadoras que promovem o conhecimento e o uso de línguas indígenas. A exposição interativa contará com jogos, aplicativos, mapas interativos, vídeos e mais ferramentas do século XXI para preservar idiomas antigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.