Ministro aciona Belo Monte, a maior geradora de energia do Brasil

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, visitou hoje, 17, a maior geradora de energia do Brasil e a quarta do planeta: Usina Hidrelétrica Belo Monte. Na ocasião, o ministro acionou a 14ª Unidade Geradora da Casa de Força Principal da Usina.

Com a entrada em operação de mais esta Unidade Geradora, o empreendimento se torna efetivamente a maior hidrelétrica 100% brasileira, disponibilizando ao sistema elétrico brasileiro 8.788,5 MW de capacidade instalada.

Na visita, o ministro pode sobrevoar as estruturas da UHE Belo Monte. Conheceu o Reassentamento Urbano Coletivo (RUC) Pedral, a Barragem e Casa de Força Complementar Pimental, o Vertedouro, Sistema de Transposição de Peixes, Canal de Derivação, Reservatório Intermediário e a Casa de Força Principal Belo Monte.

“A construção de Belo Monte proporciona e proporcionará muito mais que hidroeletricidade”, declarou Bento Albuquerque, durante a visita. “A obra vem gerando também desenvolvimento regional, compromissos sociais, responsabilidade ambiental, preservação cultural, educação, inovação em tecnologia do Brasil, feita por brasileiros, e sobretudo intensa integração com a população local”, acrescentou.

“Trata-se de um empreendimento que foi concebido em respeito ao meio ambiente e aos usos múltiplos dos recursos hídricos, mesmo sendo a geração hidrelétrica atividade não consumidora de água. Os projetos obedeceram às melhores práticas, princípios legais e regulatórios, incorporaram medidas mitigadoras e compensações exigidas pelos órgãos competentes no processo de licenciamento ambiental, respeitou as populações atingidas e particularmente os povos indígenas e as comunidades tradicionais”, destacou o ministro.

A entrega das obras da Usina está prevista para o último trimestre deste ano com o funcionamento das 24 turbinas, totalizando 11.233,1 megawatts (MW) de capacidade instalada. Será a conclusão de um ciclo de nove anos de implantação, com investimentos estimados em R$ 42 bilhões.

O complexo hidrelétrico, que fica no município de Vitória do Xingu, no sudoeste do Pará, é formado por duas Casas de Força que equivalem a duas usinas: uma com capacidade de 11 mil MW (Casa de Força Principal – UHE Belo Monte) e outra com 233,1 MW (Casa de Força Complementar – UHE Pimental).

Os atuais 8.787 megawatts (MW) de potência instalada supera a capacidade de geração da Usina de Tucuruí (8.535 MW), a contribuição da parte brasileira de Itaipu (7.000 MW) e já atende a 60 milhões de brasileiros, do Norte, Nordeste e Sudeste do país por meio do Sistema Interligado Nacional (SIN).

“A usina significa a ampliação da capacidade do nosso parque de geração onde predomina a energia renovável, sendo capaz de contribuir fortemente com a garantia do sistema interligado no cumprimento do papel de proporcionar energia elétrica estável e na quantidade necessária para as demandas da sociedade e do crescente parque industrial brasileiro”, enfatizou o ministro, acrescentando: “Junta-se também a emoção por constatarmos a grandiosidade e a complexidade do projeto e o que ele representa. O entusiasmo de todos que eu tive aqui o privilégio de conhecer no dia de hoje, de que a engenharia, o empreendedorismo e a indústria nacionais estão prontos a responder com a qualidade e com a presteza que a sociedade requer”.

Encerrando sua fala, Bento Albuquerque destacou o reconhecimento do presidente Bolsonaro “aos esforços despendidos, a competência e a bravura dos trabalhadores que direta ou indiretamente contribuíram para a concepção desta magnífica obra que engrandece e orgulha a todos os brasileiros”

*Com informações da Norte Energia

Assessoria de Comunicação Social
Ministério de Minas e Energia
(61) 2032-5620
ascom@mme.gov.br
www.mme.gov.br
www.twitter.com/Minas_Energia
www.facebook.com/minaseenergia

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.