Pesquisadores apresentam em seminário a riqueza florística da Serra dos Carajás

Nesta segunda-feira (3), seminário apresentará resultados finais das pesquisas realizadas pelo Museu Goeldi em parceria com o Instituto Tecnológico Vale (ITV), na Floresta Nacional de Carajás e no Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, no Pará. O evento também vai discutir propostas para que a cooperação avance em novo projeto na região.

O Museu Paraense Emílio Goeldi sedia, nesta segunda-feira (3), no Campus de Pesquisa, em Belém, o seminário “MPEG e ITV: resultados do convênio mantido entre 2016 e 2018 e perspectivas futuras de colaboração institucional”. Na programação, será feito o lançamento dos dois volumes finais publicados pela revista Rodriguésia, reunindo os estudos sobre a flora rupestre da região da Serra dos Carajás, gerados a partir da cooperação técnica com o Instituto Tecnológico Vale (ITV), desde 2014. As instituições também darão continuidade às articulações para implementar nova série de pesquisas na região de Carajás, por meio do projeto Capital Natural da Floresta Nacional (Flona) de Carajás.

Pesquisador do Museu Goeldi e curador do herbário da instituição, Pedro Viana apresenta as principais contribuições do projeto Flora das Cangas da Serra dos Carajás para a flora do Pará. A iniciativa é considerada o maior esforço coordenado para documentar a riqueza florística das cangas, ecossistemas vegetais onde ocorre o afloramento de rochas ferruginosas. Parte dos conhecimentos científicos produzidos por meio desta parceria começaram a ser divulgados em 2016 pela revista Rodriguésia, com o primeiro de uma série especial de quatro volumes. Os dois últimos volumes serão apresentados ao público no encerramento do seminário.

A botânica do ITV Daniela Zappi dará ao público a oportunidade de conhecer a proposta do novo projeto articulado pelas instituições, o Capital Natural da Flona de Carajás, que será focado nas formações florestais, com diversas abordagens integradas e maior abrangência de grupos taxonômicos. Haverá também mesa redonda específica para tratar do novo convênio e possíveis colaborações entre o MPEG e o ITV para a execução do projeto. As atividades reúnem ainda a participação de seis pesquisadores que integraram as incursões iniciais e vão expor seus trabalhos em andamento.

Carajás – O Museu Emílio Goeldi foi pioneiro na investigação científica sobre a flora de Carajás, tendo realizado, em 1969, a sua primeira expedição de coleta na região. Desde então, Carajás entrou na rota da pesquisa institucional. Atualmente, somado aos esforços e infraestrutura do ITV, o MPEG desenvolveu o mais recente e sistematizado estudo botânico sobre os campos ferruginosos da Floresta Nacional de Carajás e da região em seu entorno.

Esses estudos foram divididos em quatro volumes, publicados pela revista Rodriguésia, considerada uma das mais importantes e tradicionais na área da botânica. No total, os quatro exemplares reúnem mais de 150 artigos científicos, estudos sobre 164 famílias botânicas, totalizando 1.064 espécies, constituindo-se no mais completo estudo sobre a flora das cangas de Carajás.

 FONTE: Agência Museu Goeldi          Notícias

Serviço | Seminário MPEG e ITV: resultados do convênio mantido entre 2016 e 2018 e perspectivas futuras de colaboração institucional

Data: 3 de junho de 2019 (segunda-feira), das 14h às 17h30

Local: Auditório Paulo Cavalcante, no Campus de Pesquisa do Museu Emílio Goeldi (Av. Perimetral, 1901, Terra Firme – Belém/PA).

 

Programação

14h – O projeto Flora das Cangas de Carajás e sua contribuição para a Flora do Pará – Pedro Lage Viana.

14h15 – Introdução ao projeto Capital Natural na FLONA de Carajás – Daniela Zappi.

14h30 – Série de apresentações de trabalhos em andamento:

“Comparação de áreas de campo rupestre sobre canga no Pará” – Juliana Lovo

Análise comparativa da genética da paisagem em Carajás” – Luciana Resende-Moreira

“Plantas prioritárias para Recuperação de Áreas Degradadas com base nas suas interações” – Marcelo Awade

Impacto da mudança climática na biodiversidade de Carajás” – Leonardo Miranda

Fortalecimento das coleções científicas de abelhas nativas na Amazônia” – Luciano Costa

Biodiversidade das cavernas da região de Carajás” – Gisele Nunes

15h30 – Mesa redonda sobre o novo convênio e as possíveis colaborações entre o MPEG e o ITV

17h30 – Lançamento dos 2 volumes finais da Flora das Cangas da Serra de Carajás

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.