ALEAM – Questão energética de Roraima é debatida em Audiência Pública

Os constantes cortes de energia elétrica em Roraima, abastecida pela Venezuela, que atualmente vive uma forte crise política e econômica, levaram os parlamentares daquele Estado a pedir o apoio dos deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), que na manhã desta segunda-feira (11) promoveram uma Audiência Pública no plenário Ruy Araújo para tratar do assunto.

O fato de Roraima ter ficado fora do Linhão de Tucuruí, que permite interligar o Estado ao Sistema Interligado Nacional (SIN), criou sérias dificuldades, principalmente na capital Boa Vista, que passa por cortes de energia durante o dia.

No final dos trabalhos, os deputados do Amazonas e de Roraima participantes da Audiência Pública assinaram uma carta endereçada ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), solicitando a implantação do projeto de extensão da Linha de Transmissão Tucuruí- Macapá- Manaus, o Linhão de Tucuruí, interligando Manaus a Boa Vista.

O presidente da Comissão de Geodiversidade, Recursos Hídricos, Minas, Gás, Energia e Saneamento da Aleam, deputado estadual Sinésio Campos (PT), disse que a carta será encaminhada ainda nesta segunda-feira à Presidência da República e também ao Ministério das Minas e Energia.

Além disso, foi proposta a criação de uma Frente Parlamentar, formada por deputados estaduais, federais e senadores a fim de que no final de março, ou no máximo, na primeira quinzena de abril, seja feita uma reunião em Brasília para tratar do assunto.

Ao fazer um balanço da Audiência Pública, Sinésio Campos disse que foi extremamente positiva e abrangente, porque foi uma Audiência conjunta dos parlamentares das Assembleias Legislativas de Roraima e do Amazonas com a participação de deputados federais do Amazonas e Roraima, representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab).

“Ninguém foi contra a interligação de Roraima ao Linhão de Tucuruí, desde que seja dada a devida importância à questão ambiental”, disse Sinésio Campos, ressaltando que tanto a Funai como a Coiab cobram apenas que sejam preservados os direitos dos nativos”, afirmou.

A coordenadora da Coiab Amazonas, Nara Baré, cobrou respeito aos povos indígenas. Os deputados federais pelo Amazonas, José Ricardo (PT) e Delegado Pablo (PSL), também defendem que Roraima seja contemplado pelo Linhão de Tucuruí.

Crise

Segundo os parlamentares roraimenses, o agravamento da crise na Venezuela agravou a situação pelo fato da transmissão de energia ser feita parte em território venezuelano, parte em território brasileiro.

Os deputados de Roraima informaram que já existe um alinhamento, por parte do governo do Estado de Roraima, com o presidente Jair Bolsonaro sobre a construção do Linhão de Tucuruí. “Fizemos uma reunião e ficou determinada a urgência”, informou o deputado federal por Roraima, Antonio Carlos Nicoletti (PSL).

O vice-presidente da Assembleia Legislativa de Roraima, deputado Jânio Xingu (PSB/RR), disse que Roraima é o Estado do Norte que mais sofre com a questão energética. “Desde 2011 estamos nesta luta e nada aconteceu, por enquanto usamos energia de termelétrica, que vem da Venezuela, que não tem energia nem para consumo interno”, mencionou, ressaltando que Boa Vista já foi vítima de apagão, cuja população sofre com perdas de eletrodomésticos.

Mais de 10 deputados de Roraima participaram da Audiência Pública, entre os quais Jânio Xingu (PSB), Soldado Sampaio (PCdoB), Aurelina Medeiros (Podemos), Ione Pedroso (Solidariedade), Nilton do Sindipol (Patri), Lenir Rodrigues (PPS), Jeferson Alves (PTB), Neto Loureiro (PMB), Chico Mozart (PRP), Betânia Medeiros (PV) e Coronel Chagas (PRTB).

FONTE: Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas – ALEAM – http://www.ale.am.gov.br/2019/03/11/questao-energetica-de-roraima-e-debatida-em-audiencia-publica/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.