Inverno: Caracaraí, Pacaraima e Uiramutã estão em situação de emergência

Os municípios de Caracaraí, Pacaraima e Uiramutã estão em situação de emergência devido aos efeitos do rigoroso período chuvoso. A governadora Suely Campos assinou um decreto nesta quinta-feira, dia 26, reforçando o trabalho que já era executado pela Defesa Civil e pastas afins nestas localidades.

A decisão considerou o volume de chuvas no período que compreende os meses de abril a setembro, inclusive que no mês de maio houve intensa precipitação quando choveu aproximadamente 140mm a mais que o previsto.

O documento será enviado à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil com a solicitação de auxílio a Roraima, que no dia 18 recebeu um pedido de apoio do Governo do Estado solicitando dois mil kits de alimentação para atender os desabrigados.

No momento, os municípios de Caracaraí, Pacaraima e Uiramutã são os mais afetados pelo rigoroso período chuvoso. Somente na cidade porto, já são cerca de 300 famílias desabrigadas pela cheia do rio Branco o que soma quase 1500 pessoas afetadas. “Nós não podemos deixar essas pessoas desassistidas. Vamos auxiliar a população que mora nessas localidades nesse período de dificuldade criando ações para amenizar o sofrimento e garantir a segurança”, assegurou a governadora.

O decreto também leva em consideração a probabilidade da exposição da população a doenças decorrentes da contaminação por contato com as águas como leptospirose, hepatite A, febre tifoide, micoses e viroses. As precipitações também facilitam a proliferação de vetores (agentes transmissores) de doenças, tais como o aedes aegypti.

Kits de alimentação

O Governo do Estado solicitou dois mil kits de alimentação ao Governo Federal para minimizar a situação das famílias afetadas pelas chuvas em mais de 14 localidades. Parte delas perdeu a produção devido às cheias dos rios.

“Continuamos em alerta nesse período, em função das chuvas que estão ocorrendo até que possamos ter certeza de um período de normalidade. A defesa Civil está trabalhando para evitar isolamento de comunidades e famílias. O Estado está fazendo a sua parte”, declarou Doriedson Ribeiro, comandante do CBM-RR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima).

Comparativo

Segundo o Boletim Hidroclimático da Femarh (Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), a média histórica durante o período chuvoso em Boa Vista é 1408,2mm. Até o momento, em 2018, o acumulado de precipitação desse mesmo período é de 1139,9mm. Em 2017, choveu 1277,9mm durante todo o período.

De acordo com o Sipam (Sistema de Proteção da Amazônia), a previsão é de precipitação acima da normal para o trimestre de junho, julho e agosto. Os níveis dos recursos hídricos em Roraima estão bastante elevados, tomando como parâmetro o rio Branco, principal afluente, que atingiu no dia 3 de julho a cota de 7,85m na Capital e 9,21m em Caracaraí.

Gabinete integrado

No dia 3 de julho de 2018 foi assinado o Decreto que criou o Gige (Gabinete Integrado de Gestão Emergencial) para dar assistência aos municípios afetados pelas fortes chuvas. Formam o Gige 17 secretarias de Estado coordenadas pela Defesa Civil Estadual, com ações voltadas aos municípios atingidos pelas fortes chuvas.

Rosi Martins

FONTE: RORAIMA EM FOCO 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*