Enzima descoberta na Amazônia vai aumentar o potencial de álcool na cana-de-açúcar

Com esse avanço, é possível produzir etanol do bagaço e da palha da cana. O Brasil Rural desta quarta-feira (20) conversa com Mário Murakami, diretor científico do Laboratório de Ciência e Tecnologia do Bioetanol – CTBE e pesquisador científico do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais – CNPEM. Ele fala sobre o maior aproveitamento da palha e do bagaço da cana-de-açúcar (que antes eram desperdiçados) na produção do etanol, a partir da descoberta de uma enzima.  

A enzima, que libera açucares fermentáveis do bagaço, é capaz de aumentar produção do etanol, sem ter que plantar mais hectares de cana.

“A gente vem trabalhando já há mais de uma década no desenvolvimento de um coquetel enzimático. Para tornar aquele açúcar recalcitrante, estrutural, disponível para fermentação você precisa um repertório muito grande de enzimas. Não é apenas uma enzima. É uma ação sinérgica de dezenas de enzimas. Eu falo que essa última enzima da Amazônia, ela tem uma questão especial porque ela é a última enzima do processo de quebra da celulose.”, explica o pesquisador .

FONTE: EBC  Brasil Rural    Etanol cana-de-açúcar enzima

VER MAIS EM: http://radios.ebc.com.br/brasil-rural/2018/06/enzima-descoberta-na-amazonia-vai-aumentar-o-potencial-de-alcool-na-cana-de

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.