MT – Projeto de etnoturismo na Terra Indígena Pequizal do Noruvôtu é prorrogado para abranger período de pesca

23 de Março de 2018  - Jaime de Agostinho

Neste mês de março, a Funai prorrogou a anuência concedida à atividade de visitação para fins turísticos associada à pesca esportiva nos rios 7 de Setembro e Kuluene, na Terra Indígena Pequizal do Naruvôtu. 

Funai

O Projeto pioneiro de turismo, em parceria com a operação de pesca esportiva – Pousada Recanto Xingu e a Fundação Nacional do Índio, mostra-se como uma alternativa sustentável e exitosa para todos os envolvidos.

As atividades turísticas duraram de 12 de julho a 1° de outubro de 2017 em virtude do período de defeso, o qual é regido pela Instrução Normativa Interministerial MAPA-MMA n° 10 de 2016, estabelecendo o período de 1° de outubro a 31 de janeiro como época de reprodução natural dos peixes. Logo, a pesca fica paralisada no Estado de Mato Grosso. 

Neste curto período de execução, cerca de 112 dias, o projeto contou com a visita de 223 turistas pescadores das regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste, principalmente de Minas Gerais e Goiás. 

O ingresso de turistas gerou receita que ultrapassa R$ 26 mil. A renda foi destinada diretamente à comunidade indígena Kalapalo e aplicada à aquisição de bens de uso comunitário, maquinários destinados à alimentação, contratação de trabalhos mecânicos de terraplanagem na construção da nova Aldeia Naruvôtu, aquisição de combustível para transporte dos indígenas em seus eventos culturais, ajuda financeira para brigadistas dos programas de combate ao fogo das esferas estaduais e federais, manutenção dos transportes comunitários, terrestres e fluviais e demais obras comunitárias.  

Diante de todos os benefícios trazidos à comunidade e a pedido da Associação Pequizal do Naruvôtu, a Funai prorrogou o prazo de continuidade do projeto por mais quatro meses após o término na anuência anteriormente assinada, 1º de junho de 2018, no intuito de abranger todo o período da temporada de pesca (junho a setembro de 2018). 

O Presidente Franklimberg de Freitas ressaltou a importância e o desenvolvimento de projetos como esse: “Todos os dias recebemos pedidos de indígenas que querem se autossustentar e aumentar sua renda, seja através da agricultura ou do turismo. Esse projeto de turismo em terra indígena é muito importante porque além de aumentar a renda da comunidade ainda preserva o meio ambiente. Projetos como esse têm todo o apoio da Funai.”

 

ASCOM e CGETNO com contribuições de Kelven Lopes

 

 

 

 


Palavras-chave: , , ,


Deixe um comentário

*