RO – PF combate desmatamento ilegal em terras indígenas

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (2/8), a Operação Jurerei com o objetivo de desarticular duas organizações criminosas que praticavam diversos crimes em detrimento da Terra Indígena URU-EU-WAU-WAU e dos povos indígenas que habitam à referida área especialmente protegida.

Cerca de 180 Policiais Federais cumprem 78 mandados judiciais, sendo 19 prisões cautelares (preventivas e temporárias), 18 conduções coercitivas e 41 de busca e apreensão nas cidades de Campo Novo de Rondônia, Buritis, Monte Negro, Ariquemes, Governador Jorge Teixeira, Ji-Paraná e Jaru, todos no estado de Rondônia.

Durante as investigações foram identificadas duas organizações criminosas especializadas em crimes ambientais, tais como como furto qualificado de madeira, desmatamento de floresta pública, corrupção ativa e passiva e invasão de terra pública.

As quadrilhas operavam dentro Terra Indígena URU-EU-WAU-WAU (TI) e do Parque Nacional dos Pacaás Novos (UC). Com quase 2 milhões de hectares, as áreas de preservação abrigam três grandes bacias hidrográficas da região Amazônica (Guaporé, Mamoré e Madeira).

A operação visa também evitar o confronto entre os índios URU-EU-WAU-WAU e invasores. A Polícia Federal, com a apoio da FUNAI, Ministério Público Federal, Ibama, ICMBIO e da Associação de Defesa Etnoambiental – KANINDÉ (organização da sociedade civil de interesse público), desenvolveu inúmeras ações ao longo dos últimos meses para afastar conflitos entre integrantes do citado povo indígena e membros de uma das organizações criminosas sob investigação.

Jurerei é o nome dado pelos indígenas URU-EU-WAU-WAU aos povos indígenas isolados e resistentes à integração com o não índio que ainda habitam a Terra Indígena.

A PF informa que haverá coletiva de imprensa às 17h na sede da Superintendência da Polícia Federal em Rondônia, em Porto Velho, com a participação do ministério Público Federal.

Comunicação Social da Polícia Federal em Porto Velho/RO

Contato (69) 3216-6242 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*