Concessão da Floresta Nacional de Jamari (RO) completa 6 anos de operação

Participantes de congresso internacional realizado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e parceiros visitaram na semana passada (14) unidade de manejo da Floresta Nacional de Jamari, em Rondônia, primeira concessão implementada no país e que acaba de completar 6 anos de operação. Desde 2010, a Floresta Nacional de Jamari produziu cerca de 178 mil metros cúbicos de madeira, o que já gerou mais de 9,2 milhões de reais para os cofres públicos.

Participantes do congresso internacional “Qual o futuro das concessões florestais e de modelos alternativos de gestão de floretas públicas?” visitaram na semana passada (14) unidade de manejo da Floresta Nacional de Jamari, em Rondônia, a primeira concessão implementada no país e que acaba de completar seis anos de operação.

A floresta de Jamari está localizada a 120 quilômetros de Porto Velho e possui uma área aproximada de 220 mil hectares, dos quais 96 mil estão sob a concessão federal.

Os participantes visitaram uma área que foi manejada há cerca de 30 dias e outra que foi manejada há seis anos, o que permitiu avaliar a recuperação da floresta no período. O grupo, formado por cerca de 100 pessoas de 25 países, também visitou o pátio de estocagem e a indústria de beneficiamento da empresa concessionária Madeflona.

Para o presidente executivo do Organismo de Supervisão dos Recursos Florestais e de Fauna Silvestre do Peru (Osinfor, na sigla em espanhol), Maximo Salazar, o modelo brasileiro se diferencia do peruano por incluir inventários florestais prévios, que geram informações sobre o estoque de madeira disponível e critérios de sustentabilidade socioeconômica.

“Cada região, cada país, tem suas particularidades. No caso do Peru, os operadores da concessão, subcontratam pequenos concessionários. O modelo que visitamos ontem é um modelo replicável porque nele não há espaços para intermediários, gerando uma relação direta entre governo e concessionário”, acrescentou.

Desde 2010, quando entrou em operação, a Floresta Nacional de Jamari produziu cerca de 178 mil metros cúbicos de madeira, o que já gerou mais de 9,2 milhões de reais para os cofres públicos. Os recursos arrecadados são divididos entre o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o estado de Rondônia e os municípios de Cujubim e Itapuã do Oeste.

Congresso Internacional

O congresso “Qual o futuro das concessões florestais e de modelos alternativos de gestão das florestas públicas?” reuniu participantes de 25 países de América Latina, América do Norte, Ásia, África e Europa.

O evento foi uma realização da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), em parceria com o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), Organização Internacional de Madeiras Tropicais (ITTO), Centro Internacional para Pesquisa Florestal (CIFOR) e Centro de Cooperação Internacional em Pesquisa Agronômica para o Desenvolvimento (CIRAD).

FONTE: ONU

https://nacoesunidas.org/concessao-da-floresta-nacional-de-jamari-ro-completa-6-anos-de-operacao/  

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*