Comunidades indígenas da fronteira Norte estão no roteiro de visitas da FAB

Regiões localizadas na fronteira da região Norte do Brasil estão entre as áreas de ação dos militares da Força Aérea Brasileira (FAB) nesta semana da terceira fase de mobilização nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Os efetivos dos Destacamentos de Aeronáutica sediados em Eirunepé e São Gabriel da Cachoeira, localizados no Amazonas (AM), e Vilhena, no Estado de Rondônia (RO), estão engajados na iniciativa.

Em São Gabriel da Cachoeira, a 850 km distante de Manaus, militares de três destacamentos da Aeronáutica sediados no município estão visitando comunidades indígenas. Acompanhados pela Secretaria Municipal de Saúde eles estão orientando sobre métodos de prevenção e eliminação de criadouros.

No roteiro das visitas estão comunidades das etnias Kuripaco, Dessana, Yanomami e Baniwa. Os líderes indígenas traduzem as instruções para os dialetos locais. 
De acordo com o Comandante do Destacamento de Aeronáutica de São Gabriel da Cachoeira, Capitão Valmir Gonzaga Ferreira, os índios das casas visitadas não conhecem os impactos causados pelo mosquito. “Eles não conhecem as doenças causadas pelo Aedes aegypti. Aqui o medo maior deles é a malária, mas, ainda assim, conscientizamos e verificamos, principalmente, as caixas d água”, afirma.

Em Eirunepé, distante 1.159 km da capital amazonense, militares da Aeronáutica vão estender as atividades até o início de março (04/03), atendendo ao pedido da Secretaria Municipal de Saúde local. Nesse período, o objetivo é visitar todas as casas instaladas no perímetro urbano, o que corresponde a 5 mil residências.

De acordo com o Comandante do Destacamento de Aeronáutica de Eirunepé, Tenente Vanderlei Costa, o foco das ações é a prevenção. “Vamos dar ênfase à prevenção e aos cuidados com os quintais, ressaltando os dez minutos de cuidado semanais”, disse.

Em Rondônia, no município de Vilhena, a 706 km da capital Porto Velho, os militares da FAB devem visitar cerca de 350 residências por dia até a próxima quinta-feira (18/02). Eles estão trabalhando com acompanhamento da Secretaria Municipal de Saúde desde a última segunda-feira.

Para a concretização dessa iniciativa, todos os militares da Força Aérea, em Vilhena, passaram por um treinamento para reconhecer e eliminar criadouros do mosquito.

“Estamos engajados nessa missão que, na minha opinião, é nobre. Os militares estão motivados e a população está nos recebendo muito bem”, disse o Comandante do Destacamento de Aeronáutica de Vilhena, Tenente Especialista Davy Andersson de Andrade.

 VII COMAR

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.