PA – Garimpos ilegais são desativados pelo Ibama na Terra Indígena Kayapó

Com o apoio da comunidade Kayapó, o Ibama desativou oito garimpos ilegais na Terra Indígena do Baú, no Pará. Durante a ação, realizada no período.

de 18 a 22 de abril, foram destruídos dois acampamentos e oito motores de bomba, que são utilizados para lavar os barrancos. Três responsáveis foram notificados, quarenta garimpeiros identificados e retirados do interior da TI e mais sessenta retirados do entorno.

A ação teve o apoio da Força Nacional, da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da Policia Militar do Estado do Pará. Entre os oito garimpos identificados, seis são de grande porte e dois de pequeno porte. Segundo o diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Luciano Evaristo, os empreendimentos clandestinos causaram danos significativos à floresta e aos recursos hídricos locais: “A destruição causada pelo garimpo é muito mais forte que o desmatamento em si, pois polui e absorve vários aspectos sociais degradantes, como tráfico de drogas, prostituição, exploração do trabalho infantil e trabalho escravo”, afirma.

O objetivo principal da ação é impedir o adensamento destes garimpos no interior da terra indígena, os quais estão localizados a cerca de seis quilômetros do rio Curuá, que abastece as aldeias indígenas dos Kayapós tanto na TI do Baú quanto na TI Menkragnoti. Os garimpos ameaçavam a qualidade da água com o despejo de mercúrio e a movimentação de sedimentos finos.

Ascom/Ibama

One thought on “PA – Garimpos ilegais são desativados pelo Ibama na Terra Indígena Kayapó”

  1. Olá companheiro Luciano,quando tive o prazer de ti conhecer,tomei conhecimento do teu amor pelo meio ambiente pois trabalhar em uma área tão extensa é preciso muita disposição e amor pela função.Estive por ai no período da Malú.Não vou negar,sinto saudades,sou do RJ,não sei se amigo ainda se lembra da mim.Desejo boa sorte e tudo de bom pra vc e família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.