AM – Projeto “Enamorados pela vida” é finalista em prêmio nacional

No início deste mês, Rosivaldo Moreira, coordenador no Programa Ciência na Escola (PCE) e professor da Escola Municipal Ulisses Guimarães, localizado no bairro Amazonino Mendes, zona Leste da cidade de Manaus/AM, recebeu reconhecimento regional com o projeto “Enamorados pela Vida”, ganhando assim, projeção nacional. 

O projeto foi premiado no 3º Concurso Aprender e Ensinar, promovido pela Revista Fórum e Fundação Banco do Brasil (FBB). O concurso recebeu 4.698 inscrições de professores de todos país. No Amazonas, 42 projetos foram inscritos e dois aprovados para a final. 

Segundo Rosivaldo, a ideia de participar do concurso foi mera coincidência, pois no momento ele fazia pesquisas relacionadas ao projeto. ?Eu estava pesquisando assuntos para o projeto e acessei uma página que tinha um link, apertei nele e respondi as perguntas que tinham para participar?, afirma. 

Na última sexta-feira (22) e sábado (23), o professor participou do seminário sobre tecnologia social na educação, realizado em Brasília (DF).

O projeto 

Enamorados pela vida”  é um projeto integrante do Programa Ciência na Escola, incentivado pela Fundação de Amparo à Pesquisa no Amazonas (Fapeam). 

O projeto produz ferramentas como histórias em quadrinhos, vídeo-aulas e cartilhas que mostram os efeitos que a droga causa na vida das pessoas. 

Além dos estudos, os pesquisadores júnior buscam depoimentos de ex-viciados que estão em processo de formação, pois acreditam que nada melhor do que alguém que já viveu toda a experiência do vício para instruir e sensibilizar seus colegas de escola. “Nós procuramos os professores responsáveis pelo projeto, pois achamos importante que esse trabalho seja feito nas escolas, eu tenho casos na família, um tio que vende drogas e não acho isso certo” afirma o pesquisador Júnior, Hiago da Costa. 

Junto com o professor coordenador do PCE e com o apoio técnico, os pesquisadores fazem visitas a centros de reabilitação, Alcoólicos Anônimos (AA) e a laboratórios de bioquímica para conhecer a composição de cada substância estudada. 

Apesar de todo trabalho realizado, os pesquisadores junior desejam realizar a gravação de um filme. Escrito, produzido e dirigido por eles e futuramente inscrever no festival de curta-metragem. Segundo o professor Rosivaldo, existem novos planos para este ano, o projeto vai ampliar as fronteiras e trabalhar com mídias impressas e didáticas.

FONTE  : Núcleo de Comunicação – Programa Ciencia na Escola – PCE Amazonas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.