Senador agradece à Ministra Chefe da Casa Civil por buscar solução para área Suiá Miçú (MT)

O senador Cidinho Santos (PR-MT) agradeceu à ministra chefe da Casa Civil, a senadora licenciada Gleisi Hoffmann (PT-PR), e ao advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, os esforços para uma solução pacífica para as sete mil famílias que estão ameaçadas de serem retiradas à força da área Suiá Miçú, em Mato Grosso.De acordo com o parlamentar, a ministra determinou que o Exército brasileiro não vá à região ajudar na retirada das famílias, cumprindo decisão judicial. A ministra recebeu parlamentares e representantes da população da região em seu gabinete, em reunião no dia anterior.

Em pronunciamento nesta quarta-feira (12), o representante do Mato Grosso disse que a ministra se comprometeu a encontrar uma solução pacífica para o impasse, em conjunto com a Advocacia Geral da União e o Ministério da Justiça. O senador informou que os produtores rurais da região bloquearam a rodovia BR-158 “e estão dispostos a matar ou morrer”, recusando-se a entregar a terra como foi determinado.

Cidinho Santos explicou que a área foi repassada pelo governo do estado aos colonos lá instalados há mais de 40 anos. Essas famílias sobrevivem da produção de alimentos e da pecuária leiteira. Há na região um povoado com um posto de gasolina, três escolas, beneficiadoras de arroz e armazéns.

O senador informou que o governo do estado ofereceu uma área com 100 mil hectares a mais para os 300 índios que reivindicam a propriedade da região. De acordo com o parlamentar, os próprios índios não querem a área em disputa, já tendo manifestado em documento a preferência pela nova área oferecida pelo estado. A Fundação Nacional do Índio (Funai), no entanto,  insiste na retirada das famílias.

O parlamentar defendeu a fixação de um marco regulatório no país para a demarcação de novas áreas indígenas que contemple os interesses dos estados, dos municípios e das populações envolvidas.

FONTE  :  Agência Senado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*