PA – Idesp revela queda no desmatamento na Amazônia, em junho

Atualmente, é possível obter em tempo satisfatório dados sobre o desmatamento e focos de calor na Amazônia brasileira. O Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter) e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, de responsabilidade do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), são os responsáveis por fazer este monitoramento.

No boletim do desmatamento de junho deste ano, divulgado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), são apresentados dados da redução de áreas desmatadas. O estudo mostra que, no Pará, houve um total de 37,73 km² de desmatamento. Deste, Paragominas, que já encabeçou a lista, foi destaque por desmatar menos de 1 km² num território de 20 mil km². Entre as Unidades de Conservação localizadas no Estado, foram identificados uma área desmatada de 4,87km², na qual o município de Jacareacanga foi o único município da lista.

O desmatamento na Amazônia reduziu consideravelmente. Desde 2008 até os dias atuais foram registrados um total de 1.147,38 km² de áreas desmatadas. Só em 2008 foram 499,04 km² de áreas desmatadas. Hoje, o registro é de apenas 7,56% deste total.

Para o prefeito de Paragominas, Adnan Demachki, o município de Paragominas tem muito a comemorar no Dia da Amazônia, celebrado no último dia 5, como as iniciativas para preservação das áreas verdes: “Atingimos metas de redução de desmatamento, ensinamos nossos alunos às práticas sustentáveis dentro de todas as escolas municipais – sejam elas da zona urbana ou rural. Então, com certeza temos muito a comemorar neste dia tão marcante”, ressalta.

Município Verde -Em virtude do crescente desmatamento na Amazônia até início do século XXI, o Ministério do Meio Ambiente (MMA) criou, no ano de 2007, a lista de municípios que mais desmatavam no Brasil. Inicialmente, apresentava 36 municípios que se caracterizavam por altas taxas de desmatamento baseadas por medição por satélite e pela falta do Cadastro Ambiental Rural (CAR), registro de georeferenciamento que mede a topografia do terreno e identifica Áreas de Proteção Ambiental (APP) e áreas de Reserva Legal (RL).

No início de 2008, o MMA divulgou a primeira lista dos municípios desmatadores, baseado nos dados do Deter. O município de Paragominas, no nordeste paraense, ocupava a 23° posição como um dos que mais desmatavam no Brasil.

Buscando solucionar o problema, foi criado, em 2008, o programa Município Verde, que começou com pactos sociais a fim de alcançar o desmatamento zero, em que a sociedade civil, políticos, imprensa local e nacional e o MMA se mobilizaram em prol do objetivo. O programa teve uma repercussão tão positiva que, em 2011, a prefeitura reuniu os produtores de gado, madeira e móveis para assinar o pacto de produzir de forma sustentável.

Tal trabalho fez com que Paragominas saísse da lista dos que mais desmatavam no Brasil e hoje é considerado um exemplo de município sustentável para todo o Brasil. Um dos resultados do sucesso do programa Município Verde foi a adoção do modelo pelo Governo do Pará para implantá-lo em outros municípios paraenses que também apresentam altos índices de desmatamento.

Fonte: Jornal Amazônia

http://noticias.orm.com.br/noticia.asp?id=608162&|para+apresenta+reducao+no+indice+de+desmatamento  

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*