AM – Exploração de gás e petróleo na Amazônia será reduzida para controlar gastos

A Bacia do Solimões, no Amazonas, terá aumentada a análise de dados sísmicos para conhecimento das informações e geologia da região. A HRT Participações em Petróleo S.A. é uma companhia brasileira independente de exploração e produção de petróleo e gás, que anunciou a redução das atividades de perfuração para reduzir custos com atividades exploratórias. As informações são do Valor Online.

O diretor de engenharia, perfuração e produção da HRT, Milton Frankie, afirmou que serão mantidas apenas duas sondas operacionais, focadas em poços exploratórios. Com isso, a empresa espera controlar os investimentos aplicados para o final de 2012 e para o ano de 2013. De acordo com o executivo, a empresa conta com 13 poços perfurados na região. “Jamais teremos uma campanha tão bem conhecida como tivemos lá”, explicou.

Ao longo dos últimos dois meses, a HRT e seu parceiro na bacia do Solimões, TNK-Brasil, reavaliaram a bacia e em conjunto decidiram que a campanha exploratória deve ser racionalizada. Será dada prioridade aos levantamentos sísmicos, reduzindo temporariamente a atividade de perfuração. A companhia decidiu diminuir temporariamente o número de sondas em atividade no Solimões, mantendo apenas duas sondas focadas na campanha exploratória.

A Bacia do Solimões está localizada na região Amazônica do Brasil e os blocos em concessão para o consórcio HRT e TNK-Brasil ocupam uma área de 48.507 km². Segundo o executivo, a companhia ainda vai apresentar um plano de avaliação da região à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A meta da empresa é ter definida uma estratégia par a monetização do gás natural da Bacia do Solimões até o fim de 2013. A HRT O&G é detentora de 55% de 21 blocos exploratórios na Bacia do Solimões.

De acordo com dados oficiais da ANP, a região detém a segunda maior reserva de gás do Brasil e a quarta maior produção brasileira de óleo e gás, com cerca de 109 mil BOE por dia. O óleo produzido na Bacia do Solimões é de excelente qualidade, com densidade especifi ca entre 41º e 47º API, e tem importância estratégica para o mercado brasileiro.

O poço 1-HRT-6-AM, concluído em 21 de maio de 2012, atingiu a profundidade final de 3.384 metros e registrou durante a perfuração indícios de óleo e gás em dois intervalos, com espessura líquida de 4 e 8 metros, em reservatórios de idade Devoniana. Testes foram feitos nos dois intervalos, com produção de fi ltrado da lama de perfuração e óleo em um dos intervalos em quantidade não comercial. O óleo recuperado no teste foi analisado e apresentou 41o API, com características geoquímicas semelhantes ao óleo produzido no Campo de Urucu. Os dois testes revelaram intervalos de baixa permeabilidade, confirmando, no entanto, o potencial para óleo leve no Bloco SOL-T-170.

No dia 16 de junho de 2012 foi iniciada a perfuração do poço 1-HRT-9-AM. A locação visa testar a presença de hidrocarbonetos em uma estrutura anticlinal de cerca de 20 km² de área localizada a sul do Campo de Juruá em uma possível extensão do alinhamento gaseifi co recentemente confi rmado pelo poço 1-HRT-5-AM (descoberta de gás no prospecto Sândalo). No passado, este alinhamento foi testado com sucesso por outros três poços perfurados pela Petrobras.

A Bacia do Solimões está localizada na região Amazônica do Brasil e os blocos em concessão para o consórcio HRT e TNK-Brasil ocupam uma área de 48.507 km². Segundo o executivo, a companhia ainda vai apresentar um plano de avaliação da região à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A meta da empresa é ter definida uma estratégia par a monetização do gás natural da Bacia do Solimões até o fim de 2013. A HRT O&G é detentora de 55% de 21 blocos exploratórios na Bacia do Solimões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*