PA – Quebradeira em escritório de Belo Monte foi ato espiritual indígena

Indígenas foram os responsáveis pela depredação de vários equipamentos – computadores, cadeiras e mesas – do escritório central da Norte Energia, consórcio construtor da hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira, no Sudoeste do Pará, no sábado.

A informação é do departamento de comunicação do movimento Xingu Vivo, ao explicar que os indígenas têm uma visão diferente das depredações. A iniciativa para os indígenas significou “um ato espiritual”. Eles estariam impondo uma dor à empresa da mesma forma que eles estão sofrendo com a construção da hidrelétrica naquela região.

Segundo nota do movimento Xingu Vivo divulgada domingo, no sábado os participantes do evento Xingu+23 foram ao canteiro de obras de Belo Monte para denunciar as violações ambientais e sociais da usina. Liderada pelos indígenas, a manifestação incluiu uma pajelança no canteiro, um pronunciamento de um padre e declarações de protesto.

Ainda segundo a nota, “indignados com as violações de direitos humanos, o desrespeito com os atingidos e os danos ambientais da obra, e principalmente a ausência de consulta às populações tradicionais e indígenas e o silêncio dos empreendedores, um dos indígenas decidiu se manifestar nas dependências da empresa”. O Movimento disse que eram 30 indígenas, mas a empresa fala em cerca de 80. 

Leia mais em Quebradeira em escritório de Belo Monte foi ‘ato espiritual’ dos índios, diz Xingu Vivo 

 FONTE : O Globo – http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*