AMAZÔNIA – Google e Imazon se aliam para monitorar desmatamento e degradação florestal

Os alertas de desmatamento e de degradação florestal do próximo Boletim Transparência Florestal do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia) serão gerados na plataforma Google Earth Engine (EE).

Batizado de SAD-EE, o novo sistema, vem sendo desenvolvido há quase dois anos em colaboração com a Google. Em janeiro de 2012, entrou em fase final de testes, concluída recentemente.

Segundo o Imazon, as vantagens do SAD-EE são várias. Os dados e as ferramentas de processamento de imagens de satélites, edição de mapas digitais e validação do mapeamento estão disponibilizadas e rodam nas nuvens de computadores da Google. Isso tem permitido a redução do tempo para pré-processamento, análise e divulgação dos dados, podendo chegar até 50% do tempo para gerar os alertas.

Outra vantagem do SAD-EE é que ele permite a integração com sistemas de comunicação móvel (smartphones, tablets, por exemplo) e com a rede de computadores da internet. Isso vai facilitar o acesso dos alertas de desmatamento e de degradação florestal por parte dos usuários finais.

Os usuários poderão fornecer dados e informações coletadas em campo em tempo real. Dessa forma, o SAD-EE tem um enorme potencial para ser contribuir com uma plataforma integrada de monitoramento colaborativo.

A última vantagem do SAD EE citada pelo Imazon é permitir que todas essas tecnologias e dados de satélites estejam disponíveis à instituições de outros países, possibilitando o monitoramento em escala global. A ONG, com sede em Belém (PA), acredita que o SAD EE vai revolucionar a forma que monitoramos as nossas florestas.

Um vídeo produzido pela Google Outreach apresenta o trabalho de monitoramento do desmatamento na Amazônia realizado pelo Imazon. O pesquisador Carlos Souza Jr. fala sobre o Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) Operacional na plataforma Google Earth Engine.

Por: Altino Machado
Fonte: Terra Magazine/ Blog da Amazônia  – http://terramagazine.terra.com.br/blogdaamazonia/blog 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*