Fordlândia do Pará: patrimônio histórico no esquecimento

A vila foi construída nos anos 30, por iniciativa do fundador da Ford Motors, Henry Ford.

Fordlândia chegou a ter fábricas, restaurantes, praças, cinemas, dormitórios e muitos moradores. Hoje, parte dessa história é o retrato do descaso e da destruição. Construída na década de 30, a vila começou pela iniciativa do fundador da Ford Motors, Henry Ford, que buscava transformar a Amazônia em um grande centro de produção de borracha. Para preservar essa história, o Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) quer mais rigor da Prefeitura local contra a destruição do patrimônio histórico.

Atualmente, a vila de Fordlância está em processo de tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pode entrar para o acordo com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas. Apesar dessa importância desse conjunto urbano, o MPF/PA recebeu denúncias de que a prefeitura estaria sendo negligente com a preservação dos prédios.

As denúncias levaram o procurador da República Marcel Brugnera Mesquita a encaminhar recomendação ao prefeito de Aveiro estabelecendo prazo de 30 dias para que o município adotasse medidas de preservação determinadas pelo Iphan. Por sua vez, a Prefeitura determinou à administração da vila de Fordlândia especial atenção com o antigo hospital local, o galpão do trapiche e as casas da vila Americana, localizada em Fordlândia.

A história

O historiador Greg Grandin, professor de história da América Latina na Universidade de Nova York, narrou a história de Fordlândia no livro “Fordlândia – Ascensão e Queda da Cidade Esquecida de Henry Ford na Selva”, obra finalista na categoria história do prêmio Pulitzer de 2010, incluída entre os cem livros notáveis do ano no ranking do jornal The New York Times, e eleita o melhor livro do ano pelos jornais Chicago Tribune e Boston Globe.

Fonte: Portal Amazônia  http://defender.org.br/ 

Ver mais em: http://www.defender.org.br/fordlandia-do-para-patrimonio-historico-no-esquecimento/ 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.