Organizações indígenas e camponesas exigem reforma agrária e justiça social

Um seminário reuniu mais de 10 organizaçoes sociais em Brasilia com o objetivo de intensificar e unificar a luta em defesa da reforma agrária, dos direitos territoriais e da produção de alimentos saudáveis. Rosângela Piovizani, integrante da Via Campesina, e uma das responsáveis pelo evento, explica:«Há uma grande insatisfação, pois nos últimos anos não há recursos para a agricultura familiar camponesa, mas sim para o agronegócio e as exportações». A líder, citada pela agência Adital, acrescenta: «Juntas, em pauta unificada, as organizações do campo vão agir de forma mais intensa para reivindicar demandas que não andaram como a educação no campo, o aumento do uso de agrotóxicos e o incentivo ao agronegócio, assim como a própria reforma agrária que não evolui porque não há vontade política para realizar as desapropriações e fazer novos assentamentos».

Os organizadores esperam contar com a cooperação de outras entidades e movimentos sociais, de personalidades e da sociedade em geral, já que as reivindicações implicam milhares de brasileiros. O Seminário Nacional de Organizações Sociais que decorreu nos últimos dias de fevereiro contou com a participação das seguintes organizações: Associação dos Povos Indígenas do Brasil, CÁRITAS Brasileira, Conselho Indigenista Missionário, Comissão Pastoral da Terra, Confederação Nacional de Trabalhadores na Agricultura, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

FONTE: Fátima Missionária – http://www.fatimamissionaria.pt/artigo.php?cod=22563&sec=8

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.