Ipaam multa sítio em Iranduba por reincidência em armazenamento ilegal de madeira

O sítio Filhos Homens, localizado no Km 52 da AM 352,no município de Iranduba (a 27 Km de Manaus), foi multado por reincidência no armazenamento ilegal de madeira explorada e beneficiada clandestinamente.

Sítio Filhos Homens onde ocorria o armazenamento e onde estava sendo carregado o caminhão baú

O caminhão Baú de placa JXV 0754, apreendido no último sábado no município de Iranduba pelos fiscais do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM)  e trazido para Manaus com 105 pranchas de madeira foi o indício de uma cadeia produtiva ilegal que vinha sendo apurada pela gerência de inteligência do Instituto.

A exploração, beneficiamento, armazenamento e transporte ilegal resultou em mais de sete mil reais de multa aplicadas nesta terça-feira (19), após processo de cubagem da carga ocorrido na última segunda-feira (18).

O processo de cubagem da carga do caminhão aferiu o volume de 10,87 m3 de madeira.

O Ipaam lavrou dois autos de infração no valor de R$3.261,00 cada, correspondente a R$300,00 o metro cúbico, conforme estabelece o artigo 46 da Lei de Crimes Ambientais (9.605/98) e o artigo 47 do Decreto Federal 6514/08.

Apesar do valor ser o mesmo, os motivos e os infratores são diferentes. Uma das multas foi lavrada em nome de Gilliane Aires da Rocha, motorista do caminhão, pelo transporte ilegal da madeira e pela não apresentação do Documento de Origem Florestal (DOF).

A outra multa foi aplicada a Suamir Carmo do Nascimento pelo armazenamento ilegal da madeira no sítio Filhos Homens, onde ocorria o carregamento do caminhão Baú no momento em que os fiscais do Ipaam flagraram o ilícito.

Suamir Nascimento vai receber outro auto de infração, no valor de R$1.041,00, referente ao dia 27 de maio quando 3,47 m3 de madeira foram encontrados pelos fiscais do IPAAM, sem autorização ambiental, no mesmo sítio.

Incentivo

“Estamos diante de um caso de reincidência por armazenamento ilegal”, comentou o gerente.

Além dos autos de infração, o Ipaam também lavrou dois Termos de Apreensão em nome de cada um dos infratores.

Os autos de infração serão levados para Iranduba para serem recebidos pelos apenados.

A partir do recebimento dos autos, Gilliane Rocha e Suamir Nascimento terão 20 dias para apresentar defesa junto ao IPAAM.

O gerente de inteligência Lemos de Almeida disse ainda que vai continuar investigando a extensão do delito praticado pelos dois infratores.

Duas grandes apreensões de madeira ilegal realizadas no último final de semana levaram o Ipaam a acreditar que marcenarias localizadas em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) estão incentivando a exploração e o beneficiamento ilegal no município.

“Certamente há marcenarias comprando ilegalmente a madeira”, ressaltou o gerente de inteligência do Ipaam, Lemos de Almeida.

Na sexta-feira (15), fiscais do Ipaam também encontraram 10 metros cúbicos de madeira em pranchas.

Fonte: A Crítica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.