Professores recolhem hoje amostras da água – Igarapé Mirandinha – Boa Vista/RR

6 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

O despejo de esgoto in natura no curso do igarapé Mirandinha pela Companhia de Água e Esgotos de Roraima (Caer) começa a ser investigado pelo Ministério Público de Roraima (MP-RR) que já requisitou uma análise sobre as características físicas e bacteriológicas da água. A coleta de amostras será feita hoje pela manhã por dois professores do Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais (Pronat) da Universidade Federal de Roraima (UFRR).

A coleta será acompanhada por fiscais ambientais da Fundação Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Femarh), nos pontos de despejo do esgotamento, na foz do igarapé e no ponto de captação de água da Caer no rio Branco. Além da coleta, a solicitação envolve análise e emissão de laudo técnico e parecer técnico que avaliem a qualidade da água no local. Leia mais »

Roraima está na lista dos que mais desmatam

4 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou, na quinta-feira passada, que os estados que mais derrubaram árvores nos meses de novembro e dezembro passado foram Pará (58,56%), Mato Grosso (53,81%) e Roraima (29,24%). Neste período, em toda Amazônia, a área desmatada foi de 208 quilômetros quadrado, o que corresponde a 25.212 campos de futebol.

A superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Nilva Baraúna, disse que Roraima está nesse registro porque apresenta um período de desmatamento diferenciado dos demais estados. “Roraima e Amapá apresentam um período de queimada diferenciado para o uso do solo destinado para produção agrícola e pastagem. Enquanto todo o Brasil está com outra atividade, Roraima está desmatando para fazer queimada nos meses de janeiro, fevereiro e março. E, para quem faz desmatamento ilegal, novembro e dezembro são de maior pico”, explicou. Leia mais »

Petrobras descobre óleo e gás na Bacia do rio Solimões no Amazonas

4 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Os testes realizados indicaram capacidade de produção diária de 1.400 barris de óleo de boa qualidade (41º API) e 45 mil m3 de gás, na Formação Juruá.

A empresa Petrobras anunciou, nesta sexta-feira (03), a descoberta de uma nova acumulação de óleo e gás na Bacia do Solimões, Bloco SOL-T-171, no Estado do Amazonas. Leia mais »

Santo Antonio Energia diz que vai construir parede de pedras desde barragem até Triângulo

3 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

O Site Rondoniaovivo publicou matéria sobre o processo de destruição das margens do Ria Madeira, na Região de Porto Velho/RO, e as providêncas que foram acordadas com o consórcio construtor da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio.

Leia matéria em http://www.rondoniaovivo.com/noticias/banzeiros-acuada-santo-antonio-energia-diz-que-vai-construir-parede-de-pedras-desde-barragem-ate-triangulo/84246 ou em http://painelpolitico.com/Editorias/Noticias/Santo-Antonio-Energia-diz-que-vai-construir-parede-de-pedras-desde-barragem-ate-Triangulo.html

Planta amazônica consegue absorver metais pesados

3 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Testes mostraram que todos os metais foram absorvidos da mesma forma independentemente do local.

Estudo realizado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) identificou que o uso da planta Alocasia macrorhiza, conhecida popularmente como orelha-de-elefante-gigante, pode ser utilizada como biorremediadora em áreas contaminadas. Significa que a planta tem a capacidade de absorver metais pesados do solo, como cádmio (Cd), cromo (Cr), cobre (Cu), chumbo (Pb), níquel (Ni) e zinco (Zn). A pesquisa foi conduzida por Josias Coriolano de Freitas e é fruto do trabalho de doutorado denominado ‘Avaliação da Alocasia macrorhiza como fitorremediadora dos metais Cd, Cr, Cu, Ni, Pb e Zn’. Leia mais »

Amazônia perdeu 207 km² de floresta em dois meses, afirma Inpe

3 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Área equivale 11 vezes o tamanho do arquipélago de Fernando de Noronha. Dados do sistema Deter são dos meses de novembro e dezembro de 2011. Leia mais »

Rio+20: agenda “reenfocada” preocupa ambientalistas

3 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Um sopro de ar fresco parece estar sendo lançado sobre a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentado, a Rio+20, que será realizada em junho próximo, no Rio de Janeiro. A julgar pela listagem dos “assuntos críticos” contidos no chamado Draft Zero, o documento elaborado pelas autoridades brasileiras para estabelecer a agenda do evento e, não menos, pelas reações negativas do aparato ambientalista a ele, é possível que o bom senso e o realismo estejam começando a se manifestar de uma forma mais incisiva nessa área crucial para a determinação do futuro próximo de toda a Humanidade. Igualmente, é possível que a tradição diplomática brasileira em relação aos temas ambientais, que se manifestava no início da década de 1970, por intermédio de luminares como o embaixador Araújo Castro e intelectuais do porte de Josué de Castro, que alertavam sobre as intenções subreptícias do Establishment anglo-americano, esteja renascendo em resposta às pretensões de “congelar” o desenvolvimento sob pretextos ambientais. Leia mais »

Brasil quer transformar Rio+20 em um ‘G20 sustentável’, dizem europeus

2 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Falta de foco em propostas da cúpula é criticada por ambientalistas. Cúpula da ONU acontece em junho deste ano, no Rio de Janeiro.

A menos de cinco meses da conferência Rio+20, no Rio de Janeiro, autoridades políticas e líderes ambientalistas europeus estão preocupados com a suposta “falta de foco” das propostas feitas pelo governo do Brasil, organizador do evento. Leia mais »

Problemas continuam sem respostas após reunião com presidência da Funai, dizem indígenas

1 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Cerca de 200 lideranças indígenas da região do Médio Xingu, cujas aldeias estão na área de influência da hidrelétrica de Belo Monte, participaram nesta quarta, 25, de uma nova rodada de negociações com o governo e a empresa Norte Energia, sobre ações de mitigação de impactos da usina. A reunião havia sido marcada em 1 de dezembro do ano passado, após uma tumultuada discussão sobre problemas no cumprimento das medidas emergenciais em andamento, e que havia levantado uma série de questionamentos sobre o Plano Básico Ambiental (PBA), que definirá as ações compensatórias de longo prazo. Leia mais »

Mais uma vez indígenas do Alto Envira denunciam o descaso na área de saúde

1 de Fevereiro de 2012  - Jaime de Agostinho

O Conselho Indigenista Missionário – CIMI – está divulgando a denuncia dos índios da Região do Alto Envira, no Acre, sobre o abandono dessas populações. Integra da carta:

Terra indígena Ashaninka Isolados do Rio Envira

Sr. Antonio Alves.

Secretário Nacional da Saúde Indígena.

Nós Ashaninka e Madihá, do Alto Rio Envira, viemos publicamente denunciar com o descaso da saúde que vem acontecendo em nossa região.

 – Há muitas de nossas crianças vem sendo vítimas de epidemias de ataque de diarréia, vômito, febre e outros tipos de enfermidade.

 – Em nossas comunidades não existe saneamento básico. Só há um monte de material de construção estragado.

 – Há dois anos a equipe de saúde não sobe para fazer qualquer trabalho na área de saúde.

 – Quando conseguimos chegar com os pacientes até a cidade de Feijó, ficamos a mercê da sorte, não recebemos tratamento adequado, ficamos na beira do barranco, não recebemos combustível de volta e nem alimentação.

 – Choramos as mortes de nossas crianças que morrem a míngua. A última que morreu foi próximo do Natal, quando a gente vinha descendo a remo em busca de socorro até a cidade de Feijó. Tivemos que enterrar na beira do barranco nos seringais dos brancos.

 Senhor secretário por ocasião de sua visita ao pólo, entregamos em mão o nosso documento falando de nossos sofrimentos e buscamos alternativas.

 Feijó, 24 de janeiro de 2012.

FONTE: CIMI

Fotos raras de índios isolados na Amazônia peruana são divulgadas

31 de Janeiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Imagens mostram de perto família de indígenas da etnia Mashco-Piru. Registro foi feito durante expedição que buscava pássaros da Amazônia.

A organização ambiental Survival International divulgou nesta terça-feira (31) imagens inéditas que mostram, de perto, índios isolados da etnia Mashco-Piro que vivem no Parque Nacional de Manú, localizado dentro da Amazônia, no Peru. Leia mais »

Mapeamento mostra detalhes inéditos da floresta amazônica em 3D

31 de Janeiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Um avião bimotor voa a aproximadamente a 5 mil metros de altitude. Na aeronave, um equipamento conhecido como “Lidar” lanç raios laser na copa das árvores abaixo, 400 mil vezes por segundo. O resultado: um mapeamento da floresta amazônica em três dimensões (3D).

Leia mais »

Contratos beneficiam extrativistas na Amazônia

31 de Janeiro de 2012  - Jaime de Agostinho

A assinatura de contratos de capacitação e assistência técnica vai beneficiar mais de 300 famílias residentes em comunidades na Amazônia. Os contratos, assinados na última terça-feira (24), têm valor total de R$ 1,26 milhão do Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal (FNDF), gerido pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB). O repasse também beneficiará cerca de cem coletores de sementes e viveiristas na Mata Atlântica.  Leia mais »

Projetos no Congresso podem deixar Brasil com 40 Estados e Territórios

30 de Janeiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Se todos os projetos para redivisão da Federação que tramitam no Congresso Nacional fossem aprovados, o Brasil contaria com 40 Estados e Territórios, segundo informações da Câmara dos Deputados. O país é hoje formado por 26 Estados e o Distrito Federal.

Além dos projetos de criação dos Estados de Tapajós e Carajás, rejeitados pelos paraenses em plebiscito recente, o Congresso discute a divisão do Piauí, do Maranhão, da Bahia, de Minas Gerais, além do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Amazonas. Leia mais »

Povos isolados localizados perto de obras no Rio Madeira

30 de Janeiro de 2012  - Jaime de Agostinho

Índios isolados foram localizados pela Fundação Nacional do Índio (FUNAI) em uma área próxima dos canteiros de obras das hidrelétricas de Jirau e de Santo Antônio, na região Norte do país. O grupo vive na Terra Indígena Katauixi/Jacareúba, no Amazonas, entre os municípios de Lábrea e Canutama, perto da divisa com Rondônia. Leia mais »