RR – Mapeamento social e conflitos socioambientais na Amazônia

24 de Fevereiro de 2013  - Jaime de Agostinho

O Núcleo de Roraima do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia (PNCSA) vai realizar, em 28/02/2013, na Universidade Federal de Roraima (UFRR), uma série de debates sobre o tema Mapeamento Social e Conflitos Socioambientais na Amazônia.

Versão_2-1_-_CARTAZ_BANNER-1

Estão previstas as seguintes atividades:

17:30h – Mesa 1
Expositores:
Dr. Alfredo Wagner Berno de Almeida – Coordenador do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia (PNCSA/AM)
Dr. Reinaldo Imbrózio Barbosa – Instituto Nacional de Pesquisas (INPA/RR)
Sr. Simeão Messias– Coordenador Regional das TI’s Região Serra da Lua
18:30h – Debate

19:30h – Mesa 2
Expositores:
Prof. Dr. Philip Martin Fearnside – Instituto Nacional de Pesquisas – INPA/AM
Profª. Dra. Rosa Elizabeth Acevedo Marin – Coordenadora do Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia
Sr. Elias Nogueira da Gama – Secretário Geral da Associação dos Trabalhadores e Trabalhadoras  Rurais do Cujubim Beira Rio/ Caracaraí-RR

 


Palavras-chave: , , , , , ,

Uma Resposta para “RR – Mapeamento social e conflitos socioambientais na Amazônia”


  1. njbispo Disse:

    Tenho insistentemente denunciado os abusos nos processos administrativos e judicias de demarcaçào das areas com intuíto de DEMARCAÇÃO, CRIAÇÃO DE ÁREAS INDÍGENAS.
    Uma reserva nao se cria , se reconhece, mas no Brasil onde reina soberana uma esquerda festiva dentro da funai, incra, secretaria nacional de integraçào regional, e muitos outros orgão ligados diretamnte a presidencia da república.
    Rasgam a constitição em nome do PODEROSO ART 231, ele tem sido usado de forma equivocada e abusiva, colocando o POVO BRASILEIRO em uma grave situação de insegurança jurídica, onde todas as leis passam a um estado figurativo, onde temos algo maior e mais importante, inclusive colocando em patamar superior os povos indígenas, coisa que de fato não são, somos todos brasileiros com muito orgulho, com muito amor, mas chega um momento que nos vemos ameaçados , temos que pensar como e quando saír, e quem o fizer por último que apague a luz, vamos deixar o território natal, e buscarmos exílio em terras distantes, estamos semos EXPATRIADOS.
    ISSO E CRIME PREVISTO NOS ENUNCIADOS DO DIREITO INTERNACIONAL E NACIONAL.
    ISSO É DESLOCAMENTO FORÇADO.
    ACABOU DE ACONTECER EM RAPOSA SERRA DO SOL E NA SUIÁ MISSÚ(A LENDA DE MARAWATSEDE)onde os produtores depois de expulsos sem nenhum plano de assentamento, foram jogados nas estradas e escolas do município de Alto Boa vista sob a lona preta, agora a AGU, SOLICITA O CONFISCO DE ALGUM BEM QUE PORVENTURA TENHA SOBRADO, ISTO PARA RECOMPOR OS CAMPOS EM SUAS EX PROPRIEDADES, TOMAM TUDO, DINHEIRO EM CONTA CORRENTE, VEÍCULOS, IMÓVEIS URBANOS. A ORDEM ESTA VALENDO E COMETEPSE NO BRASIL MAIS UM ABUSO AO ESTADO DEMOCRATICO DE DIREITO.
    NO BRASIL NÃO HA PREVISÃO LEGAL DE CONFISCO . antão o IBAMA aplica uma multa milionária sem nehum critério e depois algum juiz alinhado ao sistema manda cobrar, sem direito de defesa, sem rito jurídico, sem perícias, sem nenhum critério técnico e juridico razável.
    UMA VERGONHA NACIONAL.

    * A equipe do ECOAMAZÔNIA esclarece que o conteúdo e opiniões expressas nos COMENTÁRIOS são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a opinião deste ‘site”.
    Ecoamazônia


Deixe um comentário

*