Recordes de degradação florestal em Mato Grosso: reflexo da expectativa na mudança do Código Florestal

10 de junho de 2011  - Jaime de Agostinho

O desmatamento no Estado do Mato Grosso chegou a 243 quilômetros quadrados no mês de abril, correspondendo a um aumento de 537% comparado a abril de 2010. Mais absurdo ainda são os dados relacionados a florestas degradadas, de 1.755 quilômetros quadrados, 13.500% maior do mesmo período do ano passado.


Os dados, recolhidos do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD), foram divulgado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Essa explosão de desmatamento e de degradação florestal pode estar associada às expectativas de mudança do código florestal brasileiro, avaliaram representantes do Imazon.

Os municípios que mais sofreram desmatamento em abril passado no Mato Grosso foram Nova Ubiratã, Porto dos Gaúchos e Itanhangá.  Enquanto o desmatamento é a supressão total da floresta com exposição do solo, a degradação reporta-se a florestas intensamente exploradas pela atividade madeireira e/ou queimadas.

Essa foi o maior registro acusado pela Imazon no Mato Grosso tanto nos casos de desmatamentos como de degradação florestal.

Fonte: Por Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)


Palavras-chave: , , , , , , ,


Deixe um comentário

*