INPE sobrevoa áreas de desmatamento no MT

8 de junho de 2011  - Jaime de Agostinho

De 1º a 3 de junho, especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) sobrevoaram o norte do Mato Grosso para verificar alertas de desmatamento indicados pelo DETER. Nesta região, de grande incidência de desmatamento, foram vistoriados cerca de 90 pontos de alerta que, somados, chegam a 200 km².

Foto de área identificada como desmatamento por corte raso pelo DETER, no município de Porto dos Gaúchos (MT)

Foram 16 horas de voo, no raio de 180 km ao redor da cidade de Sinop, para verificação das áreas apontadas pelo DETER nos últimos meses. Na maior parte foi verificado o desmatamento tipo corte raso – quando a floresta nativa é completamente retirada -, mas também foram vistas áreas em processo de degradação florestal.

Os alertas do DETER, sistema do INPE baseado em satélites, servem para orientar ações de fiscalização e controle de desmatamento pelos órgãos ambientais. Segundo o Ibama, que acompanhou e cedeu o helicóptero para a missão, parte das regiões identificadas como desmatamento conta com autorização da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Mato Grosso (Sema).

Um relatório completo será publicado em breve pelo INPE, que realiza ações em campo para validar os dados obtidos por satélites de seus sistemas de monitoramento. A ação foi registrada em mais de mil fotos, que estão disponíveis em www.obt.inpe.br/fototeca

Imagem do alerta do DETER verificado em abril, apontando corte raso em Porto dos Gaúchos (MT)

Foto de área identificada pelo DETER como degradação florestal no município de Cláudia (MT)

Imagem que mostra 3 alertas emitidos pelo DETER no mês de abril, mostrando desmatamento por degradação florestal em Cláudia (MT)

Fonte: INPE


Palavras-chave: , , , , ,


Deixe um comentário

*