FAO alerta sobre impactos de mudanças climáticas sobre uso da água

11 de junho de 2011  - Jaime de Agostinho

 

Novo relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação afirma que aquecimento global afetará disponibilidade de setor agrícola.

Um novo relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, chama atenção para as possíveis consequências das mudanças climáticas no uso da água em atividades agrícolas. De acordo com o estudo, o aquecimento global terá efeitos profundos na quantidade de água disponível para a produção de alimentos nas próximas décadas. Entre os possíveis impactos, estão a redução do escoamento dos rios e recarga de aquíferos no Mediterrâneo e nas áreas semiáridas das Américas, da Austrália e do sul da África. Estas regiões já enfrentam problemas com água.

Na Ásia, grande parte de áreas irrigadas que dependem do derretimento de neve e geleiras de montanhas para o fornecimento de água também serão afetadas. O estudo diz ainda que regiões densamente povoadas na delta dos rios sofrem riscos de redução do fluxo de água, aumento de salinidade e do nível do mar. O relatório aponta que a aceleração do ciclo hidrológico mundial será antecipada com a elevação das temperaturas e uma consequente alta do nível de evaporação da terra e do mar.

Será necessário um planejamento para um aumento na ocorrência de secas e inundações, e áreas onde já existe problema com falta de água devem se tornar mais secas e quentes. De acordo com o diretor-geral assistente de Recursos Naturais da FAO, Alexander Mueller, “os meios de subsistência das comunidades rurais estão em risco, assim como a segurança alimentar das populações das cidades.” Ele acrescenta que “as comunidades rurais mais pobres são as mais vulneráveis.”

Ações de combate

Entre as possíveis ações para diminuir os efeitos do aquecimento global no setor, o estudo da FAO cita a importância de melhorar a capacidade dos países de contabilizar o uso da água. Outra opção seria uma mudança nos padrões de plantação das fazendas, com alteração na época dos plantios para a redução do uso de água e optimização dos recursos de irrigação. Apesar da existência de possíveis estratégicas de combate, a FAO alerta que a adoção destas seria muito difícil para os pequenos produtores dos países em desenvolvimento. A agência enfatiza a importância de estudos na área, já que ainda hoje, pouco se sabe sobre os impactos das mudanças climáticas na disponibilidade de água para a agricultura.


Palavras-chave: ,


Deixe um comentário

*