Recriação do monstro

8 de Maio de 2011  - Jaime de Agostinho

Por Jessé Souza *

Quando a disputa histórica sobre a Raposa Serra do Sol estava chegando ao fim, com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), chamei a atenção para um fato: enterrado o argumento de internacionalização da Amazônia e o fim de Roraima, os políticos teriam que trabalhar ou inventar um novo monstro para desviar a atenção da opinião.

Todos sabem que a questão Raposa Serra do Sol serviu como cortina de ferro para encobrir a corrupção, a falta de vontade e de projetos políticos para desenvolver Roraima, além de servir como única “plataforma política” de candidatos que nunca fizeram nada por Roraima. Além de que o pânico com a paranoia da internacionalização caía muito bem para anestesiar a opinião pública.
Pois bem. Em vez de mostrar trabalho e partir para uma nova realidade política, eis que surge um novo monstro para ocupar a mente da população roraimense e substituir a paranoia da internacionalização: “Conspiração de Ongs para introduzir pragas na agricultura de Roraima”.
 

Essa nova teoria do caos, criada pelo deputado federal Paulo César Quartiero, vem com o mesmo propósito: manter viva a chama de conspiração intergaláxia na mente dos roraimenses, alimentando o pânico a partir de supostas ações mirabolantes para impedir o desenvolvimento de Roraima.

Como esse papo de internacionalização venceu, nem mete mais medo a partir da definição da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, era preciso criar esse novo monstro, para jogar a culpa pelo buraco em que eles meterem em Roraima em Ongs, povos indígenas e movimentos sociais. O monstro é novo, mas o objetivo é o mesmo.

Todos deveriam saber onde está o grande problema de Roraima: a corrupção, que tira remédios de pacientes nos hospitais, desvia recurso da merenda escolar das crianças, deixa as polícias desaparelhadas e com policiais trabalhando no sufoco e cria dívidas infindáveis que o contribuinte terá que pagar com mais arrocho.

Não sei se o eleitor ainda lembra, mas na campanha eleitoral passada, o candidato que se reelegeu gravou bonitos comerciais em que uma família beneficiada com Vale Solidário aparecia feliz, com mesa farta e promessa de reajuste do valor do benefício. E o que aconteceu? Para onde foi o dinheiro desse programa social?

Como podemos notar, a agricultura está falida, a Educação afunda com troca-troca de secretárias, a Saúde definha com os golpes da corrupção e os demais setores sofrem por falta de estrutura e de recursos. Então, para desviar a atenção para o buraco negro que está nos devorando, surge a teoria da conspiração das Ongs.

Há de se admirar a inteligência e perspicácia para se criar esse novo monstro. Mas a grande pergunta que fica é: O povo está disposto em acreditar em mais uma paranoia? E mais: a opinião púbica continuará acreditando na recriação de monstros para anestesiar as mentes e desviar o verdadeiro foco da esculhambação que afunda Roraima?

Fonte: Folha de Boa Vista

 


Palavras-chave: , , , ,


Deixe um comentário

*